23.7.02

Acabei de ler "Estorvo", do Chico Buarque. Meio mais ou menos. É o tipo de livro onde todos os personagens estranhos conhecem personagem estranhos e todos os personagens enigmáticos conhecem personagens enigmáticos. Tem um dedo do Kafka nessa história... Ao contrário da obra musical do Chico, não acrescenta em muita coisa... Pra falar a verdade, não acrescenta nada. E eu sou insuspeito pra falar uma coisa dessas: acredito que Chico Buarque seja o maior compositor brasileiro vivo, o maior letrista de todos os tempos! Mas como romancista, deixou a desejar - pelo menos poderíamos ser poupados de "Estorvo".

Mariana, minha amiga de vidas passadas, leitora compulsiva como eu, leu "Estorvo" lá pelos idos de 1992. Só lembra que o livro era meio chato. Não se lembra da história. E quando alguém não se lembra da história de um livro que leu, é que ele não significou muita coisa mesmo...

Vocês não sabem o quanto me custa dizer isso. Mas não posso me calar quanto a esta verdade...





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]